DISFUNÇÃO SEXUAL E ALTERAÇÂO DA LIBIDO

Por Dra. Heloisa Rocha

A alteração da libído e, consequentemente, a disfunção sexual que vem atingindo frequentemente tanto homens quanto as mulheres no mundo de hoje, têm sido uma grande preocupação entre os profissionais de saúde. Já é definido que não existe uma idade de predominância, já que tem sido encontrado em jovens com menos de 20 anos de idade á pessoas de terceira idade onde vários fatores causais tem que serem pesquisados para a melhora do quadro.

Em pessoas com alto nível de estresse, existe um aumento na produção de cortisol, principalmente quando o estresse é crônico, vindo associado a um fenômeno de retroalimentação positiva, aumentando ainda mais o cortisol e prejudicando á melhora da sua libido. Esse aumento crônico de cortisol, faz diminuir a produção de DHEA que é responsável por uma cadeia de reações no nosso corpo para formar o ANDROSTENODIOL  que, posteriormente se transforma em TESTOSTERONA, que é o principal hormônio que ” comanda ” a nossa libído. A suplementação correta com um médico habilitado é importante, pois para que todas essas reações acima citadas aconteçam é necessário que o mineral ZINCO esteja presente, sem ele nada acontece, portanto é interessante acrescentar os exames dos seus minerais na sua rotina para que veja se não é a a simples diminuição de um deles ocasionando esse distúrbio no seu organismo.

Conforme envelhecemos, a produção de testosterona diminui, chegando a 25 % na terceira idade, portanto uma diminuição precoce da mesma também tem que ser pesquisada.

A disfunção sexual se divide em três fases:

1- Falta do desejo;

2- Falta de excitabilidade;

3- Falta de orgasmo.

A primeira fase é totalmente dependente da falta de testosterona e dopamina.

A segunda depende de duas substâncias químicas: óxido nítrico e acetilcolina – esse primeiro uso muito nos meus pacientes que treinam ! Ela pode ser suplementada ou produzido pelo nosso corpo através da ingesta de aminoácidos essenciais como a arginina.

A terceira fase é dependente de oxitocina e adrenalina. A oxitocina é uma suplementação muito usada como suplementação da ” felicidade e do prazer “

Existem vários suplementos naturais que podem ser utilizados na prática clínica, que auxiliam demais na melhora dos sintomas, á saber:

Tribullus terrestris – essa erva possui atividade dopaminérgica auxilia muito na fase do desejo e, também, para ajuda no ganho de massa magra em atletas.

Mucuna – derivado do feijão preto, rico em dopamina, ajuda no desejo sexual.

Ginseng extrato seco – erva predominante dopaminérgica, ajuda na disposição ( quadros de fadiga ) e no desejo sexual.

Cafeína – atividade dopaminérgica- auxilia na fadiga crônica e no desejo. Útil para nos dar disposição para realizar nossas atividade rotineiras e como pré treino. No Brasil, existe uma dose limite para a sua prescrição.

Se você está precisando de ajuda nessa questão, procure um profissional médico de sua confiança e faça essas avaliações sanguíneas e clinica para que seu  “ problema “ seja solucionado !